Nova bariátrica sem cortes é novidade para quem não tem obesidade mórbida

A cirurgia bariátrica há anos vem sendo usada como forma de auxiliar no emagrecimento de pessoas que têm IMC acima de 40 ou acima de 35 com complicações de saúde associadas. Nela, parte do estômago do paciente é grampeado ou retirado e, em alguns casos, desvios intestinais também são feitos.



Cirurgias de redução de estômago

Com o intuito de tornar a cirurgia menos invasiva, surgiu a bariátrica por videolaparoscopia. Nesta técnica, o médico realiza de 3 a 5 furos pequenos no abdômen do paciente e realiza o procedimento por meio deles, sem que seja necessário a realização de grandes cortes, como na cirurgia tradicional. Com isso, a cicatrização acontece de forma mais rápida e os riscos de infecção são reduzidos.

Agora, uma nova técnica, que promete tornar o procedimento ainda mais simples e rápido, já está sendo realizada em voluntários em protocolo de pesquisa pela Faculdade de Medicina do ABC e está prestes a ser disponibilizada na rede particular.

O equipamento que é utilizado no procedimento já foi aprovado pela ANVISA no fim de 2016 e o custo da cirurgia em hospitais particulares ainda não foi definido.

“Nova bariátrica”: como é feita?

A grande diferença é que neste procedimento, que foi intitulado de gastroplastia endoscópica, não são feitos cortes grandes – apenas pequenos furos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.