A triste história da Menina de 8 anos que morreu de hemorragia após lua de mel

Uma criança de oito anos morreu no Iêmen, após a lua de mel com o marido de 40 anos. A menina identificada apenas como Rawan teria sido vendida pelo padrasto por cerca de R$ 6 mil, contou o jornal alemão "Der Tagesspiegel". Ao jornal, os médicos informaram que a menina sofreu hemorragia e ruptura uterina, que causaram sua morte. Ela foi levada ainda com vida para uma clínica, mas os médicos não puderam salvar sua vida.

A morte aconteceu na área tribal de Hardh, na fronteira com a Arábia Saudita. Ativistas de direitos humanos pressionam para que o saudita e a família da menina fossem responsabilizados pela morte.

Este triste fato ganhou destaque nas redes sociais em meados de 2014, quatro anos após uma outra jovem de 13 anos morrer de hemorragia interna depois de ter tido relações sexuais com o marido que tinha o dobro de sua idade.

Casamentos de meninas do Iêmen chamaram a atenção internacional e o caso inspirou uma outra menina iemenita, de nove anos, a publicar um relato traduzido sobre seu casamento com um homem de três vezes sua idade.

A ONG Human Rights Watch, sediada em Nova York, luta até hoje para que o governo local proíba casamento de menores de idade no país. Segundo a ONG, 52% das meninas no Iêmen se casam antes dos 18 anos, 14% antes dos 15 e muitas delas são forçadas a parar de estudar quando atingem a puberdade.

Atualmente (2017), uma em cada cinco mulheres é sequestrada para casar e as guerra locais transformam crianças em soldados e esposas.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.